Carolina+Guidi+Foto.jpg

Carolina Guidi

Graduada em Publicidade, Propaganda e Marketing pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com 7 anos de experiência no mercado de TI e Telecom, tendo atuado como vendedora para grandes contas em multinacionais da distribuição como Anixter e Scansource. Agora na Darktrace busca mostrar como a inteligência artificial pode ajudar as companhias em busca de visibilidade na rede e segurança de seus dados

 

Quando as máquinas atacam máquinas: batalhas cibernéticas e a nova fronteira da inteligência artificial

As ameaças cibernéticas estão mudando. Além dos ataques de alta velocidade, os atacantes mais sofisticados estão adotando uma estratégia de longo prazo, silenciosa e furtiva. O ecossistema digital também está mudando. Com o aumento da digitalização, o crescimento dos dispositivos IOT e a migração para nuvem, a superfície de ataque aumentou e as redes se tornaram mais vulneráveis. Proteger o perímetro da rede não é tão simples. Para proteger a rede contra ameaças que evoluem constantemente, as ferramentas de segurança cibernética do futuro devem ir além da proteção contra os ataques passados – para achar, de fato, o que não sabe procurar. Com a tecnologia de inteligência artificial, surge o sistema de autoaprendizagem e autodefesa, capaz de detectar ameaças e neutralizá-las em tempo real. Nessa sessão aprenda como: - Lidar com novos tipos de ameaças, inclusive IA armada; - Ultrapassar as limitações das abordagens legadas à segurança da informação; - Adotar o ‘"sistema imunológico" para segurança cibernética, com tecnologia de aprendizado de máquina; - O poder da IA para revidar de forma autônoma contra ataques em andamento; - Casos reais de ataques, inclusive Hacks de IOT, ameaça interna e silenciosa.